Há dentro deste mundo
um mundo vil que aflora...
Um inferno a descoberto
onde os homens se digladiam
e se devoram... onde ninguém
se livrará dos que não sabem
para onde ir, e choram!

Um mundo violento e suicida,
onde o próprio amor
já não é tão amado.
Onde nossa Fé respira ainda
como sendo válido pensar
que a pensar se vive.
Quanto tempo é passado!

A área de sombra
do estandarte plantado,
é hoje quase deserta!
Por que meu Deus,
tantos homens se afogaram
nos lucros e não mais despertam?
Por que oh Deus,
os homens já não entendem
a linguagem da esperança !?
Por que essa impressão que tenho,
de que a terra um dia
tenha sido lançada para longe...
jogada fora por alguém
que nunca mais à procurou!

A turba que se levanta tem
um canto de morte... tem as
mãos cheias de gritos!
Ao sabor das curvas
os destinos esmorecem...
A descrença prolifera e os
ramos verdes empalidecem!

Tem razão os que divagam o ermo
e vasculham o vento em horas peregrinas!
Tem razão os que pesquisam a alma
dos que ainda tem alma, quando
em verdade o mundo cambaleia!

E descalços,
por veredas de espinhos crespos seguimos...
pois desarrumaram a planície,
hoje espantosa cruenta e feia!!!


 

Indique esta página








® Mary M. Fioratti - Direitos Reservados © - 2004