Mãe… hoje eu sinto tanto a sua falta!

Estendo a mão para sua ausência, e a sinto muito
dentro do meu coração.

Hoje eu peço perdão por todas as vezes em que não
consegui entrar em seu mundo e vê-la exatamente como
você era: pura, verdadeira, inocente.

Hoje peço perdão por não ter entendido seu sofrimento,
como deveria ter feito. Por todos os abraços que não lhe dei.

Sabe, mãe…hoje eu me procuro, e essa busca tem sido
tão difícil, que me recordo de suas buscas.

Hoje mãe, que também sou mãe, muitas vezes olho
para minha filha e penso em você, nas palavras
que me dizia, nos conselhos que me dava.

Sempre me vejo um pouco igual a você, lembra? Meio brincalhona.. rindo alto, sendo um pouco
adolescente comigo, assim como sou com ela.

Tenho saudade do tempo que morávamos em Ubatuba e
você caminhava com a gente pela praia, descalços
pela beirada da água... e quando vinha aquela espuma
você dizia: “Espuminha de Toddy!”.
Como eu gostava daqueles nossos passeios pela praia,
e engraçado lembrar hoje mãe, um sentimento
“daquele tempo”. Eu tinha apenas 7 anos...
e eu a sentia triste, pensativa.

E esse sentimento veio dentro de mim agora, no
exato momento que escrevo para você.

Fico a pensar em todas as vezes que não entendi suas mensagens, que interpretei errado suas palavras,
que não olhei dentro de seus olhos.

Que passei por cima de seus problemas, com superficialidade.

Que não conversei mais com você. Que não tive tempo para ajudá-la pensando somente em mim.

Quero lhe dizer hoje Mãe... que eu sempre a amei muito.

Lembro que minhas amigas a achavam tão bonita!
Lembro de você arrumada, perfumada,
de colarzinho e cabelo arrumado.

Quero hoje agradecer a você por tudo que me deu.
Sabe mãe, eu puxei essa sua ingenuidade de amar...
de acreditar.... puxei um pouco esse seu lado puro, que
sempre acredita, e por mais que caia, continua a
acreditar. Mesmo sofrendo, eu prezo muito essa
heranca, pois é minha própria verdade.

Obrigada por todo o amor que você me deu... por tudo
que me ensinou (e que hoje percebo) e peço
perdão por nao tê-la entendido como deveria.

Mas hoje sendo mãe, eu sei que você me entendeu.
Porque uma mae sempre entende tudo.

Um beijo com todo amor da sua filha



Mary











Edição: 02.03.04




®
Mary Martins Fioratti
- Direitos Reservados © - 2004