Ilusionista

Ah..muitas vezes
eu queria saber tanto,
quanto essas mulheres
que tão cedo descobriram
todos os segredos
da miséria e da fome,
da luta e da ingratidão..
Ah..eu queria ter forças
de caminhar assim,
como essas pequenas
e grandes mulheres que,
varrendo,a cada passo,
os corredores do mundo,
limpam a vida de tanto mal,
sem mesmo o saber...

Ah..como eu queria,
conhecer quase tudo,
sem muito pensar;
olhar apenas,
sem imaginar;
tocando as bordas
do sonho possível,
sem muitas reflexões...
E sempre pronta
a enfrentar o inevitável,
sem desperdiçar emoções
em inúteis expectativas...

Ah..como eu queria,
agarrar a realidade,
entender a muda linguagem
da vida,sem palavras,
nem elaborações...
exprimindo apenas,
no dia a dia,
o milagre da sobrevivência...
como fazem essas mulheres.

Diante de seu profundo
e despojado olhar
envergonho-me tantas vezes
dessa sombria caixa
de ilusionista,
que todos os dias carrego,
buscando ensinar ao outro,
tudo que ainda não aprendi...


Maria Lúcia













Edição: 14.05.04








® Mary M. Fioratti - Direitos Reservados © - 2004