AGONIA


Meu rosto reflete
a profunda tristeza
da sua ausência
Meus olhos estão apagados
Minha expressão parada
Sinto-me quase... um "nada"....

Minhas palavras rudes
que sairam tão soltas
em uma dor disparada
quiseram atingir
como uma bala certeira
o meio do seu coração

Pois saiba que esta bala
bateu e voltou
com um rumo certo
Alojando-se bem no meio
da minha solidão

Esta dor tão profunda
tão triste e solitária
Por que persiste
Por que insiste
Em morar dentro de mim?

E este amor que queima
que torna meus focos
tão embaçados e perdidos
Transpira agonizante
dia e noite, noite e dia
em todos os meus sentidos

 

Mary Fioratti

********************



Edição: 14.05.04



® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004