ESPELHO DA MINHA ALMA



Hoje acordei e sentei com a minha vida
Para um encontro secreto com meu “eu”
Abri meu livro no Índice da “Saudade”
À
procura de algo que no tempo se perdeu

Onde estaria aquela paixão enlouquecida
Guardada em falas mudas naquelas noite calmas?
aqueles gestos ardentes, loucos e tão únicos
que queimaram fogueiras ardentes em minh’alma?

Olhei-me refletida no vidro da janela
Lá fora um pássaro voando… que sensação mais triste!
Pensei ter-me perdido em teus olhos aquela noiteQuando juntaste tuas coisas e partiste…


Cheirei minhas mãos tentando lembrar do teu perfume
Sorvi mais um gole da tua lembrança.. doce embriaguez
Meu corpo ainda morno com as marcas de teu amor
(Fechei meu livro… e lembrei-me da nossa última vez)

Parada na janela acompanhando teus passos
Beijei-te à distância…o sol já havia se posto
Abracei tua imagem, sorvendo teu último gole
E no espelho de minh’alma vi refletido teu rosto.


Mary Fioratti








Edição: 27.02.04


® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004