Queria arrancar este amor de dentro de mim
Como se arranca uma flor do jardim
Não somente apanhá-la
Mas tirá-la com toda a raiz
Como esburacar a terra e ter certeza
Que nada ficou
Que nem uma sementinha
brotou

Queria exorcizar você da minha alma
Nunca ter visto seu rosto
Nunca ter ouvido sua voz
Que soa em meus ouvidos
Toda noite quando deito
Queria nunca ter cruzado o seu caminho
Nao queria essa dor dentro do peito

Queria arrancar este amor de dentro de mim
Tirar todas as suas palavras
Que ficaram em minha memória
Rasgar todas as suas cartas
Todas suas histórias
Esquecer todos os detalhes
Como se nunca tivessem existido

Depois...
Com a chama ardente deste meu amor
Queimar lentamente todas as lembranças
E num ritual amargo e sofrido
Exorcizar esse amor tão proibido
E enterrar todas minhas esperanças










Edição: 21.03.04

® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004