FIM DE ATO

A peça se desenrolava
No palco da paixão
Os beijos aconteciam
Ao som da música
No pano de fundo
A rosa amarela
Dentro de um vaso
com sobras de amor
que jazia, no parapeito da janela

A peça continuava
Olhos nos olhos
Os bracos se enlaçaram
quando a música do piano
Transformou-se em um tango
sensual, suado e sentido
Os corpos então dançavam
Voava etéreo.... o vestido..

Lá fora a chuva
Molhava os telhados
As árvores inclinavam-se
Ao som do teclado
Lá dentro o tango
louco e rasgado
O riso incontido
libertava-se, sem medo
atrás da fantasia..

Então de repente
As notas musicais
Foram se encerrando
lentas... e lânguidas
Tristes.. e trágicas
como todo tango!
Os personagens meio tontos
Vestiram suas roupas
Guardando ainda
da realidade...um certo recato
Fecharam-se as cortinas
Apagaram-se as luzes
Fim de Ato !

Mary Fioratti





Edição: 28.01.04


® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004