Quero hoje olhar para dentro
De seus olhos
Que fazem parte dos meus dias
Ha tantos anos
Quero prestar atenção
Em seus cabelos brancos
Nas transformações de seu rosto
Em todas aquelas rugas
Que eu preocupada comigo mesma
Nao olhei
Hoje quero dar-lhe um abraço
Demorado, sentido
Apaixonado
E agradecer por você sempre
Ter estado sempre ao meu lado
Apoiando-me
Amando-me
Entendendo-me do jeito que sou
Quero hoje olhar para dentro
De mim mesma
E enxergar o interruptor desta luz
Que sem querer apos alguns anos
nos deixam na penumbra
Mas antes de acendê-la
Quero fazer um jantar a luz de velas
Para nossas almas
A toalha será de renda de ternura
Os pratos serão cheios de abraços
As taças serão repletas com beijos
Os talheres serão nossas mãos
Unidas sobre a mesa
Quero apenas olhar você
Sem dizer nada
Que possamos apenas nos olhar
Com os olhos cheios de lembranças
Lembranças passadas
Que transformaram hoje a nossa vida
Nesse lindo presente
E brindando com a taça dos nossos beijos
Esquecer tudo que sofremos
E ler entre sorrisos e abraços ternos
As palavras mudas que sempre entendemos



(imagem de flores- giz em lousa: Edna Feitosa)






Edição: 26.02.04



® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004