Abri um velho album de fotografias
Procurando por mim
Queria encontrar meus olhos
De antigamente
Aquele meu sorriso
Despreocupado
Queria encontrar aquela essencia
Que com o tempo eu perdi

Meus cabelos longos ao vento
Meu jeito infantil. de moleca
Minha pose sensual - patetica!
Aquele ar de "menina" fatal

Procurei por um brilho de extase
Uma deliciosa malicia delirante
Aquele ar de quem faz "pouco da vida"
Aquele gargalhar inconstante

Saudade daquela menina
Tão inocente.. tão pouco vivida
Que acreditava em sonhos
E que quando dormia
Encontrava em seus sonhos
Uma doce e louca fantasia

Saudade de um tempo
Quando nao existia o fantasma do futuro
Que hoje ataca no meio da noite
Meu quarto escuro

Saudade.saudade de um nada
Que era "tão" tudo
E que ficou perdido no tempo
No som do vento
Num eco mudo

Saudade de uma estrada
Das flores do nosso jardim
Saudade dos meus antigos passos
De demorados abracos
Saudade de mim.






Edição: 04.02.04


® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004