SUA VIDA



Meus olhos parados
Eternos amantes do seu "ser"
Abraçaram você tão sensualmente
Enrolando devagar bem dentro de mim
Cada pedacinho de seu corpo

Esmaguei todas as nossas curvas
Costurei os cantos de nossas almas
Fiz-me sua irmã siamesa
E numa corrida louca e suada
Você foi minha caça e a minha presa

Corri em busca de todos seus sentidos
Coração na boca! alma tão partida!
Quis ouvir sua voz...desespero crescente
Procurando loucamente...
Pela sua VIDA!



Mary Fioratti





® Mary M. Fioratti - Direitos Reservados © - 2004
Edição: 15.01.04