Quando suas mãos tocaram o meu corpo
Tão vazio de carícias.
Sons de acordes mágicos e puros
Ecoaram uma música...linda e etérea

Aqueles sons entraram
Tão dentro de minha alma
Derrubando muros imperceptíveis.
Colorindo minha vida com todos os tons.

Meus olhos então se perderam
Loucamente dentro da sua vida
Naqueles corredores vivos
De sua alma linda e sonhadora.

Entrei com cuidado em cada pedacinho
Curando feridas com minhas mãos macias
Beijando cicatrizes com meus lábios mornos
Imaculando cada pedaço de você

Nossas mãos tocavam nossas peles
E era como tocar a carne viva.
Meus olhos fitaram o teto
Num momento de puro torpor

Suas mãos suaves levantaram minha cabeça
Para que eu fitasse seus olhos.
Naquele momento de amor.

Mary Fioratti




Edição: 18.01.04



® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004