COMETA

Era uma mulher cheia de sonhos
Que enxergava o mundo sempre colorido
E em seus olhos as cores sempre pareciam
Mais vivas e brilhantes
Um dia do outro lado do mundo
Essa mulher olhou para o céu
E seus olhos se tornaram pura ternura
Ela pensou que era uma estrela
Mas era um cometa brilhante
Que inundou sua alma com um amor intenso
Uma luz dourada a envolveu completamente
Penetrando em todas suas células
E no espaço ecoou uma melodia jamais ouvida
Que naquele exato instante
Havia se tornado a música da sua vida
Esta mulher então abriu seus braços
E se envolveu completamente em sua luz
Deixou que ela entrasse com força
No mais fundo de sua alma
E que suas flores perfumassem
Todos os seus sentidos
Renovando suas celulas
Buscando seus sentimentos perdidos
O cometa brilhava...e a completava
Dando-lhe tanta ternura e tanta calma
Que ela sentia que essa luz tão terna
Era aquela luz que faltava em sua alma
No entanto um dia, sem que ela esperasse
O cometa partiu pelo céu
Envolto em uma nuvem cheia de estrelas
Subiu tão rapidamente como veio
Espalhando seu brilho, sua luz e seu calor
E a mulher ficou sozinha
E olhando para o céu cheio de estrelas
Cantou em silêncio a sua dor

Mary Fioratti




Edição: 18.06.04

® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004