INSANIDADE

Aquele beijo louco
Esmagado
Cheio de desejo
Explodiu naquela noite
Por tras daquela porta
A festa corria solta
Brindes, risadas altas
E voce me apertava
Puxando meu corpo
Contra o seu
Os risos da sala
Encobriam meus suspiros
Entre seus beijos
Alucinados
Suas maos percorriam
Meu corpo inteiro
Em uma loucura absoluta
Meu corpo
Metade descoberto
Metade desnudo
Arrepiava-se com o tom rouco
Da sua voz nos meus ouvidos
O gosto de sua boca
Misturado com o sabor do vinho
Formava um cocktail perfeito
Enquanto nossas linguas
Se buscavam
Em um experimento
Totalmente inacabado
Afastamos nossos corpos
Respirando com dificuldade
Quando tonta, completamente
Tonta.
Voltei a realidade

Mary Fioratti

 



® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004