Gosto dessa solidão
Eu e você
Você e eu
E ninguém mais
Nossos olhares
cruzando nossas íris
nossas bocas
eternizando silêncios
com palavras apaixonadas
Gosto dessa solidão
onde nossas almas sedentas
Buscam-se bebendo verdades
Saciam-se com amor renovado
Solidão que preenche
que entra na pele
que rega as sementes
deixando nascer as flores
de nossos sonhos
Amo esse sonhar
nossos olhos que se buscam
no meio da multidão
E se completam selando
esse amor declarado
em um entendimento
sugestionado
Chega a noite
E eu amo aquela solidão
quando no nosso quarto
na penumbra
Meus sons se perpetuam
nas palmas..da sua mão




® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004