palavras.vento.html

 

 

Retiras tudo que me destes
Mas retiras com maldade
Com crueldade
Como se eu tivesse feito algo
Que o tivesse ferido muito.
No entanto
Meu coração semeou
Nos cantos da tua existência
Somente ternuras e sonhos
Esperando pela colheita do amor
Pisas nos meus sentimentos
Como se os teus
Nunca tivessem existido,
Retiras tudo que me deste
Esmigalhas meus sonhos,
Pisas em minhas ilusões.
Queres apagar com uma borracha
O que foi gravado com sangue
Dentro do coração
És tão frio e tão distante
E deixas no ar uma estranha sensação
De eu nunca ter realmente te conhecido.
Jogaste tuas palavras ao vento
Sementes inúteis
Que germinam hoje a flor do silêncio...
Retiras tudo que me deste
Desnudas meu coração, deixa-o frio
Sem nenhuma piedade...
Penso agora... se és o mesmo
Que um dia conheci
E de quem hoje sinto...tanta saudade

 

 

 

 


Edição: 16.02.04

® Mary Martins Fioratti -ti Direitos Reservados © - 2004.