VIAGEM DO AMOR

Não tenhas medo de mim
Quando te estendo os braços
Quando te falo de amor
Nos meus olhos profundos
Há apenas aquela quentura
Que só arde..mas não queima

Em minhas mãos macias
Há toda ternura que tu precisas
Vem, não te sintas mais perdido
Abraça minhas costas.
Enrosca tuas pernas no meu sonho
Vou te levar ao vôo do desconhecido

Quando minhas asas baterem ansiosas
Cortando o céu azul pertinho do infinito
Quando bem atrás de uma nuvem branca
Ecoar de nossas almas nosso grito

A febre desse amor encantará as nuvens
E nos fitaremos no espaço. duas almas enternecidas
Que embora hoje distantes, estão sempre tão juntas
Como se estivessem estado juntas
Toda vida!


Mary Fioratti







Edição: 04.03.04

® Mary Martins Fioratti - Direitos Reservados © - 2004.